11 julho 2007

Técnicos????

Recentemente ocorreu um fato, no mínimo, bem curioso. Minha namorada recomendou a um amigo dela que comprasse o computador com Linux em vez de comprar com Windows Starter (nem preciso dizer aqui o motivo, certo?).

Quando conversei com ele pela primeira vez ele elogiou a interface (KDE) do Linux, e disse que estava um pouco complicado para fazer algumas coisas rotineiras, como instalar uma impressora, mas que de maneira geral estava gostando do sistema. Até ai tudo certo, pois os sistemas são realmente diferentes, e no Linux chega a ser mais complicado para iniciantes. O problema começou quando ele contratou o Speedy da Telefônica.

Em primeiro lugar, como a maioria dos produtos e serviços relacionados à informática, vem com 1 CD para a instalação em Windows, que infelizmente não procurei saber se havia algo para Linux no CD, o que, de certa forma, tira um pouco da credibilidade deste post, apesar que não havia nenhuma inscrição na capa em relação a outros sistemas operacionais. Fui na casa do amigo de minha namorada para ver se eu conseguia acertar a conexão para ele. Verifiquei que o Linux estava recebendo o endereço IP corretamente do DHCP do modem, e que o sistema conseguia "enxergar" o modem fazendo um teste simples com o ping.

Depois disso fui ler o manual do modem, que dava a instrução de acessar o modem com o navegador web, colocar a senha do administrador na página de administração do modem, e depois acessar o menu LOGIN e colocar o usuário e a senha fornecido pelo provedor de acesso. Quando acessei o menu login, simplesmente não existia campo nenhum onde digitar tal informação. Tentei então entrar em contato com o suporte do Speedy, e quando passei qual era o problema a primeira coisa que a atendente me perguntou foi: "Qual a versão do Windows que o senhor esta usando?". Respondi que não estava usando Windows e sim Linux, então ela me passou um telefone do "Suporte avançado". Pedi então que ele (o amigo de minha namorada) entrasse em contato com o tal suporte e dissesse que não estava conseguindo fazer a configuração do nome de usuário e senha no modem.

Como não tenho contato com a pessoa, perguntei para minha namorada se ela estava sabendo como foi o desenrolar da história, a principio fiquei sabendo que o "técnico" do Speedy foi na casa dele e não conseguiu resolver o problema. Mais para o final da semana passada perguntei novamente para minha namorada sobre o caso, ela então ligou para o amigo dela e ele respondeu, um tanto frustrado, que o "técnico" recomendou que ele trocasse o computador por um que tivesse o Windows instalado alegando que assim o Speedy funcionaria. E foi o que ele fez.

Mas perai, trocar de computador só por causa que a internet não estava conectando, mesmo sendo visível que o problema era a configuração do modem, e ainda mandando comprar um com Windows instalado???? Não sei se todos concordam comigo, mas para mim isso não é coisa de um técnico dizer. E isso é um problema sério.

Quando fiquei sabendo da recomendação que o "técnico" fez, além de achar um absurdo, fiquei imaginando qual é a formação e a orientação desses ditos "técnicos". Para mim, que tenho a formação de técnico em processamento de dados, o conceito de técnico é de um profissional que esta sempre se atualizando e gosta de resolver problemas, principalmente se esses problemas lhe trazem mais informações úteis, mesmo que não seja exatamente da área dele. A maioria dos técnicos de verdade que eu conheço nunca iriam sugerir um absurdo desses.

Só consigo pensar em duas possibilidades para uma atitude dessa: 1 - esses profissionais não são bem técnicos, apenas fazem cursos para saberem fazer o trabalho básico deles e o executam; 2 - as empresas (já que não são somente os técnicos da Telefônica que fazem esse tipo de recomendação sem sentido) passam ordens para que seja sempre jogado a responsabilidade para os usuários e que os problemas sejam resolvido da maneira mais fácil. Dentre essas duas possibilidades, fico com a segunda, mas a primeira também é bem provável de acontecer. E o mais importante, qualquer das duas opções sempre prejudicará uma pessoa em comum: o usuário.

Nesse caso, o problema é que o Seedy é desenvolvido para o Windows (padrão de marcado) mas pode facilmente ser configurado em outros sistemas operacionais, desde que o modem utilizado esteja corretamente configurado. Como o "técnico" somente é treinado para fazer a instalação em Windows, quando ele se depara com um sistema operacional diferente ele fica sem saber o que fazer, e acaba indo para a solução mais fácil para ele, que nesse caso específico é pedir para o usuário trocar o sistema operacional. Como nem todo mundo tem o conhecimento necessário (e nenhum usuário é obrigado a ter, mas um técnico deveria ter) para dizer onde esta exatamente o problema, ele acaba aceitando o recomendação desse "técnico".

Isso acaba criando um circulo vicioso onde as empresas empurram seus produtos voltados para os sistemas padrões, e os usuários por não saberem que o produto/serviço que ele contratou deve funcionar perfeitamente em qualquer sistema (no caso da conexão com a internet), acaba aceitando a sugestão do "técnico". Cada vez que um usuário aceita a sugestão (que as vezes soa como uma ordem) a empresa que oferece o produto/serviço tem um motivo a mais para não treinar seus funcionários em novos sistemas. E vale lembrar que a realidade hoje no Brasil é que cada vez mais usuários comuns estão comprando computadores com Linux, e empresas que prestam serviços que envolvam informática deveriam ter percebido isso e treinado seus "técnicos" nesse sistema.

O que eu quero dizer com tudo isso é que as empresas prestadoras de serviços, como a Telefônica, não estão realmente interessadas na qualidade de seus serviços e no bom atendimento aos clientes. Isso as fazem chamar de "técnicos" pessoas que não estão totalmente qualificadas para a realidade atual, e por isso acabam passando informações erradas aos usuários/clientes.

A decisão de comprar um computador com Linux não é errada, como também não é errada a decisão de comprar um computador com Windows, desde que não seja o Windows Starter, mesmo pagando bem mais por isso. O errado é admitir que as empresas continuem nos empurrando serviços e produtos que não nos dão opções de escolha, como nesse caso onde chegaram a dizer que o Speedy só funcionaria com o Windows. Precisamos ficar atentos, principalmente nós que somos da área de TI, para que esse tipo de situação não aconteça, ou pelo menos diminua.

Nota 1: É bem provável que com o Windows o Speedy conecte sem maiores problemas, pois, como disse, ele vem com um CD com o software para Windows. Acredito que esse software tenha alguma atualização do firmware do modem que é feita ao instalá-lo. Sendo assim, a melhor forma de resolver esse problema seria instalar o software em um computador com Windows instalado e o modem ligado nesse computador, após isso conectar o modem novamente no computador com Linux.

Nota 2: Não soube se o problema foi realmente resolvido só trocando o computador e sistema operacional, creio que sim.

3 comentários:

warlinux disse...

Olha eu novamente !!!

Para configurar o Speedy no Linux, basta usar o pppoeconfig em distros baseadas no Debian, e senão me engano ppp-setup em algumas distros, e bem simples de configurar.

Não precisava trocar modem, máquina, e nada.

Quando fui assinar meu speedy me falaram que não tinha suporte para o Linux, aí eu falei para moça que suporte tinha sim, vocês que não sabiam configurar aí ela me disse que eu seria o responsavel pela configuração se estaria de acordo.

Realmente a telefonica poderia bem que fazer um passo-a-passo para configurar no Linux, seria tão mais fácil, para quem não conhece.

Falow cara abraços !!!

tiago_stos disse...

Eu até tentei configurar com o pppoeconfig (esqueci de falar sobre isso) mas não funcionou, talver por eu não saber utilizar, uma grande falha minha. Mas, como disse no post, a configuração poderia ser feito diretamente no modem via interface web, mas isso se essa opção estivesse abilitada no modem.

A impressão que tive é que essa configuração do modem estava bloqueada, ou algo parecido. Infelizmente não tive oportunidade de voltar lá para tentar mais alguma coisa.

De qualquer forma, fica um alerta para que possamos evitar que isso aconteça no futuro com pessoas que conhecemos.

Dicas de Informática disse...

Oi Tiago.. eu utilizava o Speedy com Linux até a uns 2 meses atrás, mas fui compelido a instalar um Windows XP no computador porque a minha esposa não gostava de usar o pinguim...

No pppoeconfig ou no /etc/pppoe.conf dá pra configurar legalzinho o Speedy. O que vc precisa perguntar lá é o endereço dos DNS´s primário e secundário (é o necessário...) e passar para o pppoe.conf (tem uma sintaxe, mas eu não lembro mais.. Só fiz isso uma vez.. Não precisou mais.. rsrsrs)

Nos Linux distribuidos por ai, como o Kurumin, Debian, Mandriva, Suse, etc.. no modo gráfico tem ferramentas no Painel de Controle (no Suse é o suseconfig) que fazem isso e já configuram o PPPOE...

O "Técnico" da Telefonica me falou que não dava também.. Eu disse pra ele que não queria ajuda, mas os endereços de DNS, pq o resto eu faria sozinho...

Como todos podemos ver, pagamos R$ 79,90 para ter um serviço meia-boca e com apenas 10% de banda garantida... Um serviço que eu gostei foi o da Net (Virtua). Os técnicos não eram o supra-sumo da informática, mas fizeram bonito ao me passarem os passos de como configurar o Virtua num Suse 10.1.

Abraço!