01 fevereiro 2007

Gerenciadore de janelas leves

Tenho testado alguns gerenciadores de janela mais leves em meu computador de casa.

Camecei
pelo Fluxbox. Em termos de levesa esse é um dos melhores, o pacote de binário para instalação não passa de 1 MB. Outro ponto bastante interessante é que se pode personalizá-lo completamente. Um ponto que não gostei é a falta de um "lançador de aplicativos" mais prático do que os menus que são acessados clicando-se no ambiente de trabalho com os botões do mouse. Não é muito prático, principalmente para quem costuma abrir várias janelas ao mesmo tempo. Tento essa dificulade procurei por um Dock animado que é um lançador de aplicativos como se fosse uma barra de tarefas com os icones dos plicativos nela igual ao que existe no Mac OS. Testei 2 docks.

O primeiro é um miniaplicativo do adesklets (adesklets é um gerenciador de miniaplicativos que você pode acrescentar a seu desktop, muito interessante, e eu recomendo, falarei mais dele em outro post) chamado yab, mas a principal desvantagem dele é que se maximizarmos as janelas ele fica escondido atrás dessas janela, o que o torna inviável para mim que costumo deixar todas as janelas maximizadas.

O segundo é o engage, que é parte integrante do projeto Enlightenment DR17 (ou somente e17).
Esse tem tudo que eu quero em um dock, é bonito, leve, integra-se ao ambiente de trabalho totalmente independente do gerenciador de janelas (isso mesmo, podemos utiliza-lo em qualquer gerenciador de janelas), mas é muito dificil de se comfigurar. Os icones utilizados nele não são simplesmente icones, mas sim arquivos especiais que devem ser compilados por um aplicativo fornecido juntos como e17. A distribuição nacional Dream Linux utiliza o engage, eu testei o engage nessa distribuição e havia um pequeno utilitário gráfico do e17 para se criar os arquivos para os icones do engage, mas na versão atual do engage esse aplicativo não é encontrado. Pelo que percebi deve-se gerar o arquivo de icone com um script em linha de comando, mas nas minhas tentativas não deu certo, e por não encontrar documentação sobre isso eu desisti de usar um dock animado. Quem sabe em um próxima versão o engage estaja mais "utilizável", ai voltarei a falar dele aqui.

Por não ter me adaptado muito bem so FluxBox, testei o Enlightenment DR17. Encontrei o projeto Slacke17 que nada mais é so que o e17 portado pra o slackware. A instalação dos binários é simples podendo ser instalados em conjunto por um script que vem junto com os pacotes, ou um a um com o installpkg. O e17 traz recursos muito interessantes que não são encontrados em nenhum outro gerenciador de janelas que eu conheça. O engage mencionado anteriormente é um desses recursos, outros bastante interessantes são icones animados, papel de parede animados, o entrance que é um gerenciador de login gráfico similar ao gdm ou kdm mas com animações, transparências nas janelas, entre outras coisas, e ainda é um gerenciador de janelas bem leve. O problema do e17 é que ele ainda esta em fase de desenvolvimento e apesar de se poder instalá-lo para usar ainda não esta maduro o suficiente, tendo mudanças grandes em seu código (lembra que falei que o engage em uma versão utilizava um aplicativo gáfico e depois deixou de usar?). Acredito que quando o e17 estiver em uma versão mais próxima de seu lançamento oficial será um ótimo gerenciador de janelas. Mas por ele ainda não ser totamente funcional desisti dele (pelo menos por hora).

Outro gerenciador de janelas que testei foi o XFCE. Ele não tem a levesa do FluxBox e nem os recursos do do e17, mas ainda sim é bastante leve e tem, em minha opinião, um acabamento bastante adimirável. O XFCE é um gerenciador de janelas para quem procura um gerenciador de janelas mais leve e mais simples, mas sem perder a usabilidade do ambiente. E minha opção para gerenciador de janelas foi o XFCE...

Mas independente de qual seja o gerenciador de janelas que utilizamos, sempre podemos incrementá-los. O adesklets citado acima, só para dar um exemplo) é um ótimo aplicativo para se fazer isso. Posívelmente falarei um pouco dele no próximo posts.

3 comentários:

Líus disse...

Geralmente utilizo o Fluxbox em máquinas mais antigas, porém, não conhecia o adesklets e seus recursos, e então, logo o substituía pelo XFCE, que não gosto muito para PCs com pouco desempenho. Dentre os gerenciadores leves, este é o mais pesado. Gosto de fazer este tipo de teste, para ver até onde um sistema linux e softwares livres pode chegar mesmo em máquina simples. Pretendo escrever sobre isso no Hypercast. Quando o fizer, mando um trackback pra cá!

tiago_stos disse...

É interessante esse testes em computadores mais antigos, mas tem um problema, embora o gerenciador de janela seja leve, muitos programas como suites office exigem muito processamento e memória (pricipalmente para inicializar) o que minimiza as vantagens de um gerenciador de janelas leve. Mas só completando, eu quiz um gerenciador de janelas leve para simplificar a instalação, deixando instalado o mínimo de aplicativos possivel, já que quando se instala o kde ou o gnome é instalado junto inumeros outros programas, que em sua maioria eu nunca utilizava.

Dnoway disse...

Gosto do ICEWM, uso ele em meu pc mais antigo. Mas se a máquina for um pouco melhor, prefiro rodar o XFCE que acho mais bem acabado. Rox